Logo CPCON

A Depreciação na Gestão Patrimonial

O Conceito de Depreciação dos Bens

Depreciação: a ação do tempo levada em conta na gestão patrimonial

Depreciação consiste na perda natural do valor dos bens. Essa desvalorização ocorre devido ao desgaste natural destes ativos, desgaste causado pela ação da natureza ou então causado pelo uso destes bens no processo produtivo. Este conceito afeta a Gestão Patrimonial, pois quanto mais depreciado estiver um bem, menos imposto é pago sobre ele. A depreciação é interessante para a gestão de uma empresa, pois a medida que o bem vai depreciando, a empresa vai pagando menos imposto sobre o mesmo e vai acumulando capital que pode ser empregado para compra de um novo bem semelhante, proporicionando uma oportunidade de perpetuação e renovação da atividade da empresa por um período de tempo indeterminado e totalmente relevante para um gestão contábil eficiente. Tradicionalmente a depreciação/desvalorização dos bens é calculada anualmente. Como um exemplo simples de como atua a depreciação temos por exemplo os veículos e o IPVA. A cada ano o carro perde naturalmente valor de tabela e o IPVA pago sobre o mesmo descresce.

Metodos de Depreciação considerados na Gestão Patrimonial

Existem alguns métodos básicos para se calcular a depreciação dos bens:

  • Depreciação Linear ( modelo clássico ): no modelo linear, a depreciação é calculada se aplicando uma taxa de desvalorização constante sobre o bem que perde o mesmo valor anualmente. A depreciação é calculada levando em conta a vida útil média do bem. Consideremos por exemplo o valor inicial do bem em 100% ( 0% de desgaste ), se a sua vida util é de 5 anos, a depreciação linear do mesmo é 20% ao ano, ou seja 100 / 5.
  • Depreciação por Uso: modelo empregado ocasionalmente para o calculo da depreciação de máquinas de linha de produção. Neste modelo é calculada uma média de quantas unidades uma máquina é capaz de produzir durante a sua vida útil e ela vai depreciando de modo não linear a medida que for produzindo. Considerando por exemplo que uma máquina injetora de plático é capaz de produzir 400.000 peças durante sua vida útil se ela produzir 125.000 unidade em um ano vai peder 31% de seu valor. Além de unidades produzidas também podemos contabilizar neste modelo, horas de uso, o procedimento é exatamente o mesmo.

Depreciação Acelerada

A depreciação é calculada como padrão levando em conta que uma máquina ou veículo produz durante 8 horas diárias no máximo. No entanto, na prática, pode ser que um veiculo ou máquina produza durante todo o dia, sendo operado em diversos turnos por várias pessoas diferentes, neste caso temos a chamada depreciação acelerada. Neste modelo, a depreciação pode ser acelerada segundo a aplicação de 3 coeficientes dependendo de quanto o bem é requisitado:

  • Desvalorização Normal ( coeficiente = 1 ): ocorre quando o bem é utilizado em 1 turno de 8 horas por dia.
  • Desvalorização Acelerada ( coeficiente = 1,5 ): ocorre quando o bem é utilizado em 2 turnos de 8 horas por dia.
  • Desvalorização Máxima ( coeficiente = 2 ): ocorre quando o bem é utilizado em 3 turnos de 8 horas. Utilização máxima e depreciação máxima.

Reavaliação dos Bens Patrimoniais

Mas, e se após o bem estiver totalmente depreciado ainda estiver em condições de uso? Um veículo por exemplo, que deprecia totalmente em 5 anos, e se ele ainda tiver condições de rodar depois deste período? Neste caso, devemos realizar a chamada re-avaliação do bem, neste processo o bem é re-avaliado, sendo atribuído um novo valor ao mesmo e a depreciação é reiniciada.

Tabela de Depreciação

Abaixo uma tabela básica resumindo segundo a legislação Brasileira como os bens são depreciados:

Bem Taxa de Depreciação
Aeronaves e Embarcações 5% a.a.
Aparelhos de Medição, Equipamentos de Comunicação e Ferramentas 10% a.a.
Máquinas e Equipamentos Industriais 10% a.a.
Máquinas e Equipamentos de Produção de Energia 10% a.a.
Computadores e Equipamentos de Informática 20% a.a.
Tratores Leves, Pesados e Máquinas Agricolas 20% a.a.
Móveis 10% a.a.
Veículos Leves e Pesados em Geral 20% a.a.

Com a mudança na lei 11.638 tem se a possibilidade da Redução ao Valor Recuperável de Ativos , sendo necessário avaliações nos ativos do empreendimento para verificar tal possibilidade.

Artigos Relacionados aos Temas: depreciação e Gestão Patrimonial

Impairment, Considerações e definição

As desvalorizações por impairment, o correto controle do patrimônio e as estrtégias para a gestão patrimonial eficiente. Entenda de maneira geral, como todos es aspectos se correlacionam.

Impairment, Depreciação e Gestão Patrimonial

Os impactos da depreciação com a desvalorização por impairment, os empecilhos em sua ocorrência, as soluções perante a Gestão Patrimonial, e seu tratamento com o processo de Engenharia de Avaliações e o teste de impairment.

O Balanço e a Gestão Patrimonial nas Organizações

Aspectos relevantes do balanço patrimonial e suas características e relevância em sua utlização, e os benefícios perante a Gestão Patrimonial.

A Gestão Patrimonial Moderna

Aspectos singulares sobre a gestão patrimonial de âmbito moderno nas organizações de crescimento acentuado.

Modelo de Controle Patrimonial e a Gestão de Qualidade

A relevância da integração do controle patrimonial, almejando a gestão da qualidade eficiente para seu empreendimento.

Comentários:

Nivaldo Aparecido de Moura no dia 19/12/11 às 12:57 disse:

Gostaria de obter informação acerca de curso sobre depreciação e reavaliação na administração pública a ser realizado em São Paulo.

EDISON FERNANDES no dia 23/04/12 às 12:03 disse:

estuo precisando realizer a depreciaçao de natureza industrial nasta autarquia

Estevm Mascarnhas no dia 03/06/12 às 23:37 disse:

A depreciação é obrigatoria ou voluntaria, uma empresa pode deixar de fazer depreciação de seus ativos, para ter melhor resultado e dar mais lucros?

Janaína no dia 13/06/12 às 10:39 disse:

Bom dia, gostaria de saber o seguinte a empresa que trabalho quer fazer um levantamento do seu ativo imobilizado pois não estava sendo feito a depreciação do mesmo, apos este levantamento ela quer fazer a depreciação deste bens como devo proceder neste caso.

lincoln no dia 23/09/12 às 18:41 disse:

Olá, no ano de 2012 qual a metodologia p/depreciar um bem, na questão, anteriormente iamos pela tabela da receita aplicando tempo de vida util e a taxa de depreciação, agora como é feito p/estimar o tempo de vida util do bem e qual a taxa de depreciação aplicada a um bem, como sei como aplicar a taxa de depreciação, pois não posso mais usar a metodologia que estava sendo usada pela receita, aguardo resposta, abração.

Erika Patricia no dia 09/07/13 às 11:13 disse:

Bom dia!

As informações do site para mim foram de grande valia, percebo que as dúvidas dos caros colegas são as mesmas que as minhas. Especificamente trabalho em uma Prefeitura e gostaria de saber qual o melhor método (cálculo %) para ser feita a depreciação e reavaliação dos bens patrimoniais? É obrigatório fazer esta reavaliação? Gostaria de receber melhores informações sobre Patrimônio Público. Obrigada!

 

Compartilhe este artigo:

Agora você pode compartilhar todas as matérias da CPCON que você mais aprecia com seus amigos, através do Favoritos, Twitter e Orkut:

Você também pode se cadastrar e receber todas as nossas atualizações no seu e-mail:

 

Deixe um comentário